Cotidiano

Suspeitas de dengue triplicam

Lixo depositado em locais inadequados é um dos vilões da dengue (Foto: Aílton Santos)

Boletim epidemiológico da dengue, divulgado na tarde de ontem pela Sesa (Secretaria Estadual da Saúde), mostra que as notificações da doença vêm aumentando entre os 25 municípios da 10ª Regional de Saúde de Cascavel. Isso porque, no último informe, divulgado há quinze dias, o município apresentava apenas 42 suspeitas. Agora, o número subiu para 127, três vezes mais do que o dado anterior.

Conforme o enfermeiro da 10ª Regional de Saúde de Cascavel, Daniel Loss, é comum que entre os meses de outubro e novembro as notificações da doença aumentem. Um dos motivos são as mudanças típicas da estação, que nessa primeira quinzena foi de muita chuva seguida de dias de sol forte.

“O clima contribui para isso, porém, é um período em que já esperamos um número maior de notificações”, relata Loss. Por conta disso, a vigilância precisa ser redobrada. A orientação é de que a população mantenha os cuidados básicos para evitar a proliferação do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti.

Alerta

“Embora não haja muitas confirmações e o número seja menor do que no mesmo período de 2016, não podemos ficar tranquilos. É necessário que todos façam sua parte, mantendo quintais limpos, cuidando dos locais onde a água possa ficar acumulada, para que se algo ocorrer, que seja de menor impacto”, explica o enfermeiro.

Até agora, a área de abrangência da regional possui quatro casos confirmados de dengue, três autóctones (aqueles contraídos no município em que o paciente vive) e um importado. Somente em Cascavel são dois casos, ambos autóctones e 78 notificações.

Preparação

Ontem, uma reunião com coordenadores na 10ª Regional de Saúde de Cascavel discutiu a fase pré-epidêmica da dengue, enfrentada hoje. “É o momento em que preparamos as equipes para orientar a população, fazer o manejo clínico, entre outras ações”, diz Loss.