Cotidiano

Sete dicas para evitar doenças circulatórias nos dias frios

(Foto: Divulgação)

O outono ainda está ameno mas o frio começa a bater na porta. E há quem diga que os primeiros dias frios são mais intensos, porque estamos “desacostumados” com a sensação. E com ele vêm alguns incômodos típicos.

O tempo frio estimula a contração dos vasos sanguíneos, principalmente das artérias periféricas, o que pode ser perigoso principalmente para pessoas com quadro de obesidade e sedentarismo. “Quando há excesso de gordura na parede das artérias, isso atrapalha ainda mais o sangue chegar até alguns tecidos”, explica a cirurgiã vascular e angiologista Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. “Essa má circulação pode ser extremamente perigosa, porque há riscos de desenvolvimento de insuficiência arterial periférica, infartos do miocárdio e acidente vascular cerebral [AVC]”, alerta.

De acordo com a especialista, o acúmulo de gordura deixa as paredes das artérias endurecidas e estreitas, então o processo de circulação se torna mais lento. “Esse tipo de problema atinge mais pessoas com fatores de risco como as que estão acima do peso, tabagistas, colesterol aumentado, hipertensos e diabéticos”, comenta.

Quando há predisposição genética ou quadros de obesidade, alimentação desequilibrada e sedentarismo, a preocupação se torna ainda maior. “Diabéticos ou hipertensos precisam controlar a doença, praticando exercícios físicos regularmente, mantendo alimentação balanceada e evitando fumar”, esclarece a cirurgiã vascular.

O fenômeno de Raynaud também costuma aparecer ou descompensar com maior frequência no frio. “Nesse fenômeno, existe um espasmo [contração] da artéria em reação ao frio, o que torna os pés ou mãos gelados, pálidos e com alteração de coloração”, explica a angiologista.

A médica explica que o corpo pode dar sinais de que está com a circulação “comprometida”: “O paciente pode sentir dormência ou inchaço nos membros, formigamento nas mãos e nos pés. No caso de câimbras, dor ao caminhar, paralisia ou fadiga muscular pode ser um indício de arteriosclerose”.

Em qualquer sinal de alteração, um médico deve ser consultado, alerta Aline. “O tratamento para as doenças circulatórias pode ser feito por meio de medicamentos ou cirurgia se for necessário. Mas a prevenção é o melhor tratamento, especialmente para pacientes que já tenham alguma doença que contribui para a obstrução das artérias”, comenta.

Dicas para evitar esses problemas:

Usar roupas confortáveis e quentes, evitar peças justas (elas podem comprimir os músculos das pernas e cintura);

Consumir alimentos ricos em fibras, já que auxiliam na boa digestão e controle do colesterol;

Fazer exercícios físicos sob orientação médica;

Optar por alimentos com gorduras poli-insaturadas;

Controle adequado da pressão e diabetes;

Beber muita água (entre dois e três litros) por dia;

Cuidado ao usar meias elásticas sem orientação médica, nesses casos ela pode piorar a situação.