Cotidiano

Receita de exportação de carne suína cresce quase 16%

(Foto: Aílton Santos)

Curitiba - Com mais milho disponível no mercado, a suinocultura brasileira teve à disposição insumos mais baratos para um ano de retomada. O setor deve fechar 2017 com desempenho positivo principalmente em renda.

Segundo o relatório técnico da Expedição Suinocultura, somente a receita com exportação vai crescer 15,9%, passando de US$ 1,4 bilhão em 2016 para US$ 1,7 bilhão este ano. A rentabilidade para o produtor também melhorou ao longo do ano.

“A redução na oferta global de carne suína afetou as cotações, o que favoreceu o produto brasileiro. O volume de embarques permanece estável em 2017, devendo acumular alta de quase 1% em relação a 2016, mas estamos ganhando mais por tonelada exportada”, explica o coordenador da Expedição Suinocultura, Giovani Ferreira.

E o faturamento não melhorou apenas para a indústria. Levantamento realizado pelo projeto técnico-jornalístico aponta que o preço médio pago por quilo ao produtor subiu de R$ 3,25 no ano passado para R$ 3,83 este ano. “Em todos os estados visitados percebemos que os suinocultores estão mais otimistas e satisfeitos com os resultados. Ao contrário do que ocorreu ano passado, quando muitos deixaram a atividade devido à alta nos custos de produção”, explica Ferreira.