Cotidiano

Paraná tem maior taxa de endividamento desde 2011

(Foto: Divulgação )

Curitiba - A Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), elaborada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio) e divulgada pela Fecomércio PR (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná), aponta que a média de endividamento no Paraná em 2018 foi de 88,9%. Em 2017, esse percentual era de 88% e em 2016 a média estadual foi de 86,3%. O ano passado teve a maior taxa de endividamento desde 2011, quando a média anual foi de 90,2%.

Em dezembro, 89,8% dos paranaenses possuíam algum tipo de dívida. O índice teve ligeira alta em relação a novembro (89,2%), porém, com queda em relação a dezembro de 2017 (90,6%).

A média nacional anual de endividamento ficou em 60,6%, o que coloca o Paraná no topo do ranking de endividados. A Fecomércio PR destaca que esse resultado não é necessariamente negativo. As dívidas relatadas na pesquisa correspondem a débitos ou contas a vencer e compras parceladas, algumas delas por anos, tais como os financiamentos imobiliário e de veículo. O alto índice de endividamento dos paranaenses está relacionado à alta empregabilidade do Estado. Por ter uma fonte de renda garantida, o consumidor se sente mais seguro para realizar parcelamentos. Tanto que a inadimplência e a falta de condições de pagamento das dívidas no Paraná estão dentro da média nacional.

A média anual de famílias com contas em atraso no Estado foi de 29% e a média dos consumidores que reconhecem que não terão condições de pagar suas dívidas foi de 10,6%. As médias nacionais foram de 24% e 9,7%, respectivamente.

de costume, o cartão de crédito foi o maior motivo de endividamento dos paranaenses, concentrando 72,4% das dívidas em 2018. O financiamento imobiliário correspondeu à 9,3% das contas a pagar e o financiamento de veículo, 9,2%.

Nível

A maioria dos consumidores não se sente totalmente endividada no Paraná. Segundo a pesquisa, em dezembro 45,1% consideravam ter nível de endividamento mediano, enquanto 31,7% reconheciam estar muito endividados.

As famílias com renda mensal superior a 10 salários mínimos possuíam o maior índice de endividamento, com 94,7% em dezembro, contra 88,8% das que têm renda menor.

Entre os inadimplentes, 46,3% estão com as contas atrasadas há mais de 90 dias.

Endividados

Nível de endividamento