Variedades

O formato da barriga pode indicar o sexo do bebê?

(Foto: Divulgação )

Existem várias sabedorias populares para adivinhar o sexo de um bebê quando ele ainda está na barriga da mãe. Desde aspectos relacionados a enjoo e alimentação. Mas um dos mais conhecidos é em relação ao formato da barriga. Alguns acreditam que, se ela for mais pontuda, o sexo é masculino; se for mais arredondada, é de certo uma menina. Infelizmente, nenhuma dessas teorias possui respaldo científico. Portanto, não compre o enxoval do seu filho com base nesses critérios.

Duas variáveis podem interferir no tamanho e formato da barriga. A primeira dela diz respeito ao peso do bebê. De fato, os meninos são mais pesados -- a diferença pode chegar até a 300 g. Tal condição pode fazer com que o abdômen da mãe seja mais proeminente. Mas a diferença não é tamanha a ponto de ser facilmente observada. A segunda tem a ver com a posição do feto no útero. Se as costas do bebê estiverem paralelas com as da mãe, o abdômen ficará mais arredondado. Mas essa questão não tem nada a ver com o sexo do bebê.

Dito isso, quais são as melhores formas de detectar o sexo do bebê? Cientificamente, há dois principais métodos. O primeiro é a sexagem fetal. Nesse caso, é coletada uma amostra de sangue da mãe. A partir disso, é feita uma análise de DNA para determinar a existência ou não do cromossomo Y. Se for positivo, significa que o bebê é um menino; se não, é uma menina.

O teste pode ser feito a partir da oitava semana e a chance de acerto é de 99% -- por isso, também é mais caro. Conforme passa o período de gestação, a probabilidade de acerto é ainda maior. O único problema é em relação à gestação de gêmeos. Nesse caso, pode ser detectado a presença do cromossomo em um dos bebês, mas isso não significa que o outro também seja menino, a menos que forem univitelinos (dividem a mesma placenta e têm o mesmo código genético).

O exame foi desenvolvido pelo cientista chinês Yuk-Ming Dennis a partir de pesquisas que identificaram a presença de fragmentos de DNA fetal circulantes no plasma do sangue materno. A segunda forma de saber o sexo do bebê é por meio do tradicional e popular exame de ultrassom. Nesse caso, a análise é visual, no qual o médico consegue ver o broto genital, que posteriormente dará origem ao órgão sexual. Nesse caso, no entanto, a mãe vai ter de esperar um pouquinho mais para saber o sexo do bebê.

Isso porque o exame pode ser feito a partir da 12ª semana, com probabilidade de acerto de 80%. Apesar disso, entre a 16ª e a 18ª semana, é possível saber o sexo do bebê com uma assertividade de 99%. Alguns fatores podem interferir no exame, como o fato do bebê estar de pernas fechadas, bem como o excesso de gordura corporal. Uma última opção é comprar um teste de urina, presente em farmácias. A desvantagem desse teste é a acurácia menor -- cerca de 90%. Existem ainda alguns procedimentos capazes de detectar o sexo nos três primeiros meses, mas eles são indicados apenas para checar o risco de certas doenças, já que são invasivos e arriscados.