Cotidiano

Mudança social

(Foto: Fábio Donegá )

O Promover, Programa de Transferência de Subsídio Financeiro, criado pelo Município de Cascavel e que começa a ser analisado amanhã por comissões da Câmara de Vereadores, gradativamente vai substituir as cestas básicas que Secretaria de Ação Social distribui mensalmente para famílias em vulnerabilidade social.

De acordo com o secretário Hudson Moreschi (Assistência Social), famílias com renda per capita de até R$ 170 terão direito ao recurso, por meio de um cartão. Mensalmente elas receberão um valor de R$ 100 que poderá ser utilizado em supermercados cadastrados.

Diferente do Bolsa Família, o valor depositado no cartão não poderá ser sacado, mas também usado para a compra de botijão de gás. “Traz mais dignidade poder escolher o que está precisando. Às vezes a família tem o alimento, mas não tem dinheiro para comprar gás”, exemplifica Hudson.

A meta inicial é atender até mil famílias. Isso daria um custo de R$ 1,2 milhão ao ano. Atualmente o Município gasta aproximadamente R$ 900 mil por ano com cestas básicas.

Tramitação

Após os trâmites na Câmara de Vereadores, a Prefeitura fará uma licitação para escolher a empresa que irá gerenciar o cartão. A expectativa com isso é zerar os valores com licitações. Em cidades que adotaram esse modelo, as prefeituras deixaram de ter gastos já que a empresa responsável pela administração negociou diretamente com as credenciadas para ter um percentual de ganho sobre o valor de cartão.