Policial

Morto por engano?

(Foto: Aílton Santos )

Informações preliminares indicam que o segundo homicídio do fim de semana pode ter sido passional e que a vítima morreu “de graça”, já que pode ter sido assassinada por engano. Segundo o apurado pela reportagem do Hoje News, a morte de Adilson Soares Nardo, de 45 anos, com um tiro no rosto na madrugada de ontem em frente a uma casa de bailes no Bairro Santa Cruz, na esquina da Rua Zircão com Tito Muffato, pode não ter envolvimento algum com uma possível cena de ciúmes e descontrole emocional.

Adilson estava no bailão e foi arrastado para fora, pelo atirador, que fez um disparo contra o seu rosto. Quando o socorro chegou apenas pode constatar que ele já estava morto.

Enquanto fazia buscas pelo local, a polícia foi informada que o suspeito de ter disparado, um homem de 40 anos, estava por perto, observando toda a movimentação. Ele tentou fugir, mas foi localizado pela polícia e encaminhado à 15ª Subdivisão Policial.

Já durante o dia foi encontrada a caminhonete utilizada, num primeiro momento, para dar fuga ao atirador. Ela estava abandonada no Bairro Esmeralda, e foi levada ao pátio da 15ª SDP onde passará por perícia.

Confusão

Enquanto a polícia fazia um cordão de isolamento e aguardava a chegada do IML para recolher o corpo de Adilson, uma nova confusão se formou no local do crime, desta vez envolvendo um curioso que tentou romper o cordão de isolamento. A confusão foi flagrada pela equipe do Hoje News que acompanhava o desdobramento dos fatos.