Esporte

Medalhistas brasileiros da região querem abrir equipe em Toledo

Eduardo Fagundes e Juliano Crai no pódio do Brasileiro Maratona (Foto: Arquivo Atletas)

Toledo - Esporte que torna a cidade de Cascavel referência no País, a canoagem evidenciou dois atletas cascavelenses no Campeonato Brasileiro da modalidade Maratona, no fim de semana, na cidade de Eldorado do Sul, no Rio Grande do Sul. Juliano Crai Dal Molin conquistou a medalha de ouro na categoria individual 30 km e a de prata nos 30 km em duplas, em parceira com Eduardo Schuh Fagundes.

Apesar de cascavelenses, Juliano e Eduardo competem pela cidade de Aquidauana, no Mato Grosso do Sul, mas pensam em defender um município no oeste paranaense.

“Atualmente eu estudo, resido e treino em Toledo, sem estrutura apta ao desporto e que tem um lago quatro vezes menor do que o de Cascavel. Numa analogia seria comparar a um corredor de maratona que treina dentro de um ginásio. É possível treinar em Toledo e as medalhas comprovam isso, mas é uma dificuldade a ser contornada”, explica Eduardo, que além de medalhas trouxe do Campeonato Brasileiro Maratona a ideia de viabilizar uma equipe de canoagem em Toledo.

“Estamos vendo a possibilidade de abrir um clube de iniciação na cidade para pessoas de todas as idades e viabilizar junto à Prefeitura meios para que isso aconteça. Precisamos, por exemplo, de algum espaço na beira do lago para guardar os barcos e remos”, explica Eduardo.

História dentro de um caiaque

No Rio Grande do Sul, além de definir os melhores canoístas maratonistas do País, o Campeonato Brasileiro de Canoagem Maratona serviu como seletiva para as futuras disputas internacionais da modalidade, como o Campeonato Mundial, que este ano vai ser realizado em setembro, em Portugal.

Multicampeão na canoagem maratona, sendo octacampeão nacional e já tendo representado o Brasil em três edições da etapa mundial, Juliano Crai, de 33 anos, se classificou para o Mundial em Portugal e também está classificado para o Mundial de Descida de Rio, que este ano será sediado na Suíça.

Já Eduardo Fagundes, de 25 anos, está retornando com tudo ao esporte. “Estive afastado do esporte por três anos devido aos estudos na UTFPR [Universidade Tecnológica Federal do Paraná]. Até o ano de 2014 estive na equipe olímpica de canoagem velocidade (modalidade disputada nas Olimpíadas), sendo campeão Sul-Americano nos 1000 metros em Montevidéu [Uruguai] e tendo representado o Brasil nos Mundiais que antecederam a Rio 2016, mas neste retorno optei pela modalidade maratona a convite do Juliano, meu colega de treino há mais de 12 anos”.