Cotidiano

Laboratório Vivo de Cidades Inteligentes começa a operar

Foz do Iguaçu - Em um mesmo local, profissionais poderão acompanhar uma série de sistemas capazes de tornar as cidades inteligentes, em setores como a iluminação pública, o compartilhamento de carros e bicicletas e na adaptação de espaços às condições ambientais e climáticas. Todas essas tecnologias estão reunidas no CCO (Centro de Controle e Operações) do Laboratório Vivo de Cidades Inteligentes, instalado no PTI (Parque Tecnológico Itaipu), que entrou em funcionamento na quarta-feira (12).

O laboratório foi criado em uma parceria entre o PTI e a ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial). A área vai funcionar como uma vitrine de tecnologias e soluções para tornar as cidades inteligentes, voltada a prefeitos de todo o país. Nessa quarta-feira, colaboradores do PTI e representantes da ABDI fizeram uma demonstração das usabilidades já disponíveis no espaço, também chamado de living lab.

Segundo dados apresentados pela ABDI, 43% das empresas brasileiras desconhecem tecnologias da indústria 4.0, que usa conceitos como Internet das Coisas (IoT) e computação para a automação. Dentre os que conhecem, apenas 1,6% adota essas tecnologias. Um dos objetivos do novo Laboratório é difundir e fomentar a indústria 4.0 para mudar essa realidade.

“Dessa forma, os prefeitos vão parar de comprar tecnologia fora e promover a nossa própria tecnologia”, destaca o assessor especial da ABDI, Tiago Faierstein, que representou o presidente da Agência, Luiz Augusto de Souza Ferreira, na demonstração.