Política

Informe da redação do dia 7 de dezembro de 2018

(Foto: Divulgação )

Presidência da Celepar

O empresário Allan Costa (foto), co-fundador da plataforma de inovação AAA, será o novo presidente da Celepar (Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná). O nome foi anunciado ontem pelo governador eleito Ratinho Junior (PSD). Allan foi diretor-superintendente, diretor de operações e CIO (Chief Information Officer), responsável pela tecnologia da informação do Sebrae Paraná. “A inovação tem que permear o nosso governo para garantir que as soluções que queremos para melhorar a qualidade de vida de todos os paranaenses serão realizadas em todas as áreas, com eficiência e no melhor prazo possível. É fundamental incorporar à equipe, os nomes mais qualificados, com o maior conhecimento e formação técnica e um histórico de realizações”, explicou Ratinho.

Na Sedu

Mais um secretário anunciado: João Carlos Ortega vai comandar a Secretaria de Desenvolvimento Urbano. Ortega já ocupou o cargo três vezes (2014-2015 e 2017) e foi chefe de Gabinete na mesma pasta quando o secretário era o próprio Ratinho Jr.

Paulo Rabello

Ratinho disse ontem que vai contratar o economista Paulo Rabello para fazer métricas de planejamento para planejamento do Estado nos próximos quatro, oito, 12 anos. "É preciso fazer um planejamento a longo prazo. A palavra-chave é planejamento", disse Ratinho aos prefeitos em Foz do Iguaçu. Rabello foi candidato a vice na chapa de Alvaro Dias à Presidência da República.

Da própria carne

A Câmara de Foz do Iguaçu, que começou a atual legislatura com a prisão de boa parte da sua bancada, está mesmo disposta a mudar sua imagem. Tanto que ontem, por unanimidade, os vereadores rejeitaram os projetos que reajustavam em 2,06% os próprios salários. De quebra, também negaram aumento para prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e procurador-geral do Município.

Bem de todos

O consenso dos vereadores é de que não é o momento para reajuste considerando a situação econômica do País. Os salários de vereadores e gestores municipais estão sem reajuste há quatro anos, o que corresponde a um acumulado de 28,25%.

Conta suspeita I

Um relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) aponta movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em uma conta no nome de um ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) - filho mais velho do presidente eleito Jair Bolsonaro - entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.

Conta suspeita II

Com o salário de R$ 8.517 na Assembleia Legislativa e mais R$ 12,6 mil da Polícia Militar, o Coaf entendeu que Fabrício José Carlos de Queiroz não teria como fazer dez saques de R$ 49 mil, ou outro de R$ 159 mil. O ex-assessor também deu um cheque de R$ 24 mil à futura primeira-dama Michelle Bolsonaro. Perguntados, ninguém sou explicar a movimentação milionária.

Bloqueio de bens

A 4ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba determinou liminarmente o bloqueio de bens do ex-governador Beto Richa atendendo pedido do Ministério Público em ação civil pública que requer a restituição de R$ 19.895.333,61 (em valores atualizados) gastos com propaganda irregular em 2007 e no primeiro semestre de 2008, quando Richa era prefeito de Curitiba e pretendia concorrer às eleições de 2008.