Cotidiano

Indústria puxa contratações em agosto

Indústria da transformação foi responsável pela criação de 68 novas vagas no mercado formal (Foto: Aílton Santos )

Os números de agosto do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados apenas ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego mostram a recuperação de um dos setores essenciais à economia local.

É a indústria da transformação, que foi a campeã na geração de novas vagas formais de trabalho em Cascavel durante aquele mês. Embora o saldo geral do Caged no município tenha sido negativo, com o fechamento de 32 postos de trabalho – resultado das 3.964 admissões menos as 3.996 demissões -, a indústria teve papel importante para que o desempenho final não fosse tão catastrófico.

Segundo a gerente da Agência do Trabalhador de Cascavel, Marlene Crivelari, o setor passa por um reestímulo, especialmente pelo otimismo dos empresários que acreditam na recuperação da economia após uma longa e difícil recessão.

“Em agosto, um dos abatedouros de aves que estava fechado em Cascavel retornou com suas atividades e isso abriu novas vagas no mercado de trabalho. Esse foi um dos motivos para que a indústria apresentasse bom resultados. Além disso, os empresários voltaram a pensar em crescer, o que é muito positivo”, afirma.

Somente em agosto a indústria da transformação criou 68 novas vagas na cidade, resultado das 912 contratações menos as 844 demissões. No acumulado do ano, o setor manteve 1.058 postos formais de trabalho em aberto, com 7.310 admissões menos 6.252 desligamentos.

Outros setores

Ainda segundo dados do Caged, além da indústria apenas a administração pública e a extrativa mineral contrataram mais do que demitiram em agosto. Ao todo, foram 16 contratações no setor administrativo ante as oito demissões registradas naquele mês. O resultado foi a criação de oito vagas formais. Já no segundo caso, foram criadas três vagas em agosto, sem nenhum desligamento.

Em contrapartida, outros cinco segmentos analisados pelo Ministério do Trabalho e Emprego registraram um número significativo de demissões. Em ordem decrescente estão a construção civil (-63), serviços (-27), comércio (-17), agropecuária e serviços industriais de utilidade pública (ambos extinguiram duas vagas cada).

Setor Admissão Demissão Saldo

Extrativa mineral 3 0 3

Indústria da transformação 912 844 68

Serv. Indust. de Util. Pública 6 8 -2

Construção civil 389 452 -63

Comércio 1.177 1.194 -17

Serviços 1.344 1.371 -27

Administração pública 16 8 8

Agropecuária 117 119 -2

TOTAL 3.964 3.996 -32

Fonte: MTE