Cotidiano

Impasse entre prefeitura e agricultor barra recuperação

Linha Rio Saltinho acumula poças e atoleiros durante as chuvas (Foto: Aílton Santos )

Santa Tereza do Oeste - As chuvas constantes dos últimos dias têm sido assunto recorrente nas redes sociais do Jornal O Paraná e entre produtores da região devido ao risco nas lavouras: trigo à espera de colheita e soja à espera do plantio. Não bastasse isso para esquentar a cabeça do agricultor, as condições das estradas rurais por onde essa produção deve ser escoada é outra preocupação constante.

Embora boa parte das estradas rurais da região esteja cascalhada, a parte sem assistência fica intransitável com a chuva. É o caso da Linha Rio Saltinho, em Santa Tereza do Oeste, que em toda sua extensão é decorada por imensas poças e atoleiros.

O pecuarista João Ari de Oliveira vive na região há muito tempo e afirma que há vários anos a estrada não recebe uma boa revitalização. “Faz mais de dez anos que só fazem consertos paliativos, nunca foi feita uma revitalização de fato. Em janeiro o secretário de Obras veio aqui e conversamos sobre como o trabalho seria feito, mas não voltaram mais. Eles dizem que eu não deixo arrumar a estrada, mas não é bem assim... A estrada não é minha, eu só não quero que arranquem a cerca da minha propriedade, e pedi para que deixem as lombadas, pois elas ajudam a controlar a velocidade. Aqui já teve carro passando a mais de 90km/h, se pega uma criança na frente já era”, argumenta.

A Secretaria de Infraestrutura de Santa Tereza do Oeste informa que tem um cronograma para todas as estradas rurais e que a Linha Rio Saltinho está entre as prioridades, assim que a chuva parar, porém, admite o desencontro de ideias com o morador. “Já era para ter feito esse trabalho, mas durante a chuva fica impossível mexer. Lá serão feitos melhorados dois quilômetros, então, assim que parar de chover queremos iniciar os trabalhos. Só que lá tem um homem que não deixa a gente arrumar a estrada”, disse o secretário Adir Barazetti, referindo-se a João Ari.

No entanto, o secretário afirma que pretende ir até a propriedade novamente e se reunir com Ari e outros moradores para decidir como será feita a adequação da estrada. “O problema dessas máquinas é que elas são robustas e a Linha Rio Saltinho é uma estrada estreita, então fica difícil não mexer na cerca. E do outro lado da estrada tem lavoura, mas nós iremos até lá para chegar a um acordo. Talvez haja uma possibilidade de remover a cerca e recolocá-la depois da revitalização... O Ari é meu conhecido, tenho certeza que vamos chegar a um acordo, pois nós queremos fazer um bom trabalho, algo que seja bom para os agricultores”, argumenta.

De acordo com o secretário, o que está previsto para aquela estrada é adequação com cascalho e nivelamento para que a água não fique parada sobre a pista.