Cotidiano

Ibema investe 23,3% da receita em saúde pública

Ibema - Com vontade, planejamento, trabalho e determinação é possível vencer grande parte dos gargalos que atualmente tornam ineficientes e questionáveis os serviços públicos em todo o Brasil. É o que prova a administração pública de Ibema, município de 6,3 mil habitantes distante 50 quilômetros de Cascavel. Desde janeiro, o prefeito Adelar Arrosi adota medidas que, muito mais que recolocar prefeitura e as secretarias nos trilhos, contribuem para abrir novas perspectivas à comunidade local.

Um dos setores que sentem de forma positiva as mudanças que já ocorrem é o da saúde pública. “Adotamos um novo sistema de atendimentos, por demanda espontânea, e os resultados impressionam”, diz o gestor, que cumpre seu terceiro mandato de prefeito. “A busca pela eficiência e resolutividade garantem atendimentos melhores, mais ágeis e assertivos. Ninguém mais precisa enfrentar filas e todos que se dirigem à UBS são atendidos. Não há mais dispensa ou desculpas que esse ou aquele deve procurar o local em outro dia”, afirma Arrosi.

Do início de janeiro ao fim de outubro, a Prefeitura de Ibema destinou ao setor da saúde pública R$ 3,38 milhões. Desse montante, 33,4% garantiram os atendimentos do Hospital Municipal Felicita Sanson Arrosi. O gasto médio mensal com o setor é de R$ 338,8 mil, o que corresponde a percentual médio da receita pública de 23,3%. “Esse percentual é muito maior que o determinado pela Lei Complementar 141/2012, que determina que os municípios e o Distrito Federal devam aplicar, no mínimo, 15% da arrecadação dos impostos em saúde”, observa Adelar Arrosi.