Cotidiano

Frango já responde por 15% do PIB do campo

Cascavel - A Secretaria da Agricultura e Abastecimento divulgou nessa terça-feira (10) a primeira versão do VBP (Valor Bruto da Produção) Agropecuária correspondente ao ano de 2017, que projeta um faturamento bruto de R$ 85,34 bilhões pelo conjunto da produção agrícola e pecuária paranaense. Esse valor representa uma queda real de 2% em relação ao ano anterior (2016), quando o faturamento bruto atingiu R$ 87,47 bilhões. O VBP é uma espécie de PIB do campo, mensurando todas as riquezas produzidas na agropecuária.

A renda bruta da agropecuária influencia na arrecadação de mais de 70% dos municípios paranaenses que tem a base de suas economias, voltada para a agropecuária. Em 2017, a produção agrícola atingiu faturamento bruto de R$ 41,94 bilhões e a produção pecuária, R$ 39,51 bilhões. O setor florestal foi responsável por um faturamento de R$ 3,88 bilhões.

De acordo com o Deral (Departamento de Economia Rural), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, no período analisado a safra de grãos foi recorde, com 43 milhões de toneladas, configurando um crescimento de 18% na produção agrícola. Porém, os preços de comercialização foram menores e impactaram na redução do faturamento, explicou o economista Marcelo da Silva Gomes, responsável pelo acompanhamento do VBP.

Segundo o economista, com a safra recorde aumentou a oferta e os preços de produtos importantes como soja, milho, feijão, batata, caíram. A comercialização também ficou mais lenta. Além disso, houve queda na produção de cereais de inverno e do frango, um importante produto da produção pecuária paranaense, contribuindo para o recuo do VBP.

Desempenho

O desempenho da produção agropecuária foi sustentado, na fase de comercialização, pelas exportações que continuaram crescendo, tendo como seus principais produtos soja em grão e frango in natura, afirmou Gomes.

A produção de soja liderou o faturamento da produção agrícola paranaense, com 24% de participação sobre o volume total produzido no Estado. O setor movimentou um faturamento bruto de R$ 20,34 bilhões. O resultado da soja em 2017 foi 7% maior na comparação com o ano anterior (2016), quando o setor movimentou R$ 19,07 bilhões.

Com uma área plantada de 5,28 milhões de hectares e clima favorável, a produtividade média da soja foi recorde, com um rendimento de 3.765 quilos por hectare, o maior da história do Paraná. “Foi uma safra excelente, porém, houve também maior oferta de soja na América do Sul e nos Estados Unidos. Com isso, as cotações foram menores que as do ano anterior”, disse Gomes.

O segundo produto com maior faturamento no VBP 2017 foi o frango, com participação de 15% no resultado final. O setor movimentou faturamento bruto de R$ 13,05 bilhões, 11% a menos que no ano anterior quando o volume de produção atingiu R$ 14,72 bilhões.

Segundo Marcelo Gomes, o setor foi abalado por incertezas e cenário econômico adverso no primeiro semestre com a Operação Carne Fraca. No segundo semestre, o setor até se recuperou com aumento das exportações mas o número total de abates de frangos caiu 5% em 2017.

A comercialização do milho, com cotação menor também influenciou para a queda do VBP. Em 2017 o faturamento bruto do milho alcançou R$ 6,6 bilhões, 9% a menos que no ano anterior quando o resultado alcançado foi de R$ 7,25 bilhões.

A produção de leite respondeu por 7% do VBP, com um faturamento de R$ 5,7 bilhões, cerca de 4% inferior ao ano anterior quando foi registrado faturamento bruto de R$ 5,91 bilhões para o setor. Segundo Gomes, a queda na produção de leite ocorreu em função do aumento nos custos de produção ocorrido em 2016, quando muitos produtores reduziram seus rebanhos ou até saíram da atividade.

Já o faturamento bruto da produção de suínos cresceu 10%, com um total de R$ 3,77 bilhões, conferindo uma participação de 4% no VBP do Paraná. No ano anterior, o faturamento havia atingido R$ 3,42 bilhões. Segundo Gomes, a atividade ganhou espaço impulsionada pela desvalorização do milho.

Veja a matéria completa sobre o VBP do Estado: