Esporte

Foz do Iguaçu flerta com o rebaixamento

Foz do Iguaçu – A temporada dos sonhos para o Foz do Iguaçu pode começar com um pesadelo para o Time da Tríplice Fronteira. Com a derrota no confronto direto com o Rio Branco, domingo, em Paranaguá, o Azulão do Oeste é agora a única equipe do Paranaense 2019 que ainda não venceu no campeonato.

Com isso, já flerta com o rebaixamento, o que é uma preocupação a mais para quem ainda disputa a Copa do Brasil e a Série D do Campeonato Brasileiro neste ano.

O time iguaçuense, além de não ter vencido nenhuma no Estadual, é também o único da competição que ainda não marcou nenhum gol. Em seis jogos na 1ª Taça, a mais longa, por na 2ª Taça serão apenas cinco rodadas, o Foz do Iguaçu acumulou cinco derrotas e um empate, com 13 gols sofridos, média superior a dois por jogo.

Com apenas um ponto na classificação, está na lanterninha, a quatro do penúltimo colocado Rio Branco e a cinco do Cascavel CR, primeiro foz da zona da degola. Ou seja, precisa de ao menos duas rodadas perfeitas (vencer e os concorrentes diretos perder) em cinco restantes para respirar mais aliviado no campeonato.

O alento é que o Foz, bem como as demais equipes que não avançaram à semifinal, terão cerca de um mês de intertemporada para se preparar e se reforçar até o início da 2ª Taça, que tem a 1ª rodada marcada para os dias 9 e 10 de março.

Foz em Medianeira?

A campanha do Foz do Iguaçu no Paranaense 2019 não tem empolgado o torcedor da terra das Cataratas. A cada jogo no Estádio do ABC na 1ª Taça, o público foi diminuindo. Foram 1.439 pagantes contra o Coritiba, 327 contra o Cianorte e 251 contra o Cascavel CR. O presidente da equipe, Arif Osman, não escondeu a insatisfação e indicou uma mudança de sede para 2020: “O passo adiante é tirar o time da cidade e jogar em Medianeira. Já estamos tratando disso. Amo minha cidade, que é turística e com muitos atrativos e eventos simultâneos, o que faz o futebol ser só mais um. Em cidades sem o turismo forte, o futebol será o atrativo. Não é ameaça, é questão de sobrevivência”, desabafou o dirigente nas redes sociais na semana passada, depois da vitória sobre o Boa Esporte, pela Copa do Brasil.