Policial

Força-tarefa cumpre mandado de busca e apreensão

Busca e apreensão foi realizada ontem pela manhã em Campina da Lagoa (Foto: Polícia Federal )

Campina da Lagoa - A força-tarefa formada por Ministério Público, Polícia Federal e Polícia Militar deflagrou mais uma etapa da Operação Roda Livre na manhã dessa quinta-feira (13).

Policiais federais de Foz do Iguaçu, policiais militares e o Ministério Público de Capanema cumpriram mandado de busca e apreensão em Campina da Lagoa em imóvel que pertence a um suspeito de ser o fornecedor dos tratores furtados apreendidos na região sudoeste do Paraná na Operação Roda Livre deflagrada dia 1º de setembro.

A reportagem do Jornal O Paraná apurou que a casa visitada foi de Reginaldo Scatambulo, suspeito de ser “o grande elo entre as quadrilhas que agiam desde São Paulo até a ponta final, que servia como destino das máquinas e implementos trazidos para o Paraná”. A reportagem não conseguiu contato com a defesa do suspeito.

A Operação Roda Livre foi deflagrada dia 1º de setembro e já resultou na apreensão de 18 tratores furtados/roubados desde o interior de São Paulo até o interior do Rio Grande do Sul, os quais já haviam sido revendidos como novos, inclusive com a emissão de notas fiscais, para agricultores.

A comercialização das máquinas e dos implementos era feita por uma revendedora de máquinas agrícolas com sede em Santo Antônio do Sudoeste, no sudoeste do Paraná. O dono foi preso ainda no dia 1º deste mês.

Desde o ano passado já foram recuperados cerca de 30 tratores nessas mesmas condições. As investigações dão conta de que os veículos de maior valor agregado eram revendidos para agricultores no Paraná e em Santa Catarina, enquanto os de menor valor seguiam para a Argentina. Os itens recuperados já somam mais de R$ 5 milhões, mas a força-tarefa admite não ter dimensão de quantos outros ainda não foram descobertos.

As buscas realizadas ontem em Campina da Lagoa resultaram na apreensão de documentos e telefones celulares que podem auxiliar com novas provas para a total desarticulação daquilo que as investigações denominam de “organização criminosa responsável pelo recebimento de máquinas agrícolas furtadas/roubadas”.

As diligências continuam em busca de novas apreensões ou mesmo prisões de suspeitas de envolvimento.