Esporte

Fim da hegemonia na F1

Uma exibição de gala, combinada com uma estratégia certeira. Assim, Daniel Ricciardo quebrou o início de hegemonia da Ferrari em 2018 e conquistou, ontem, a vitória no Grande Prêmio da China de Fórmula 1. Em uma corrida movimentada e com manobras polêmicas, especialmente de Max Verstappen, o piloto australiano da Red Bull sobrou com pneus novos na parte final da prova, ultrapassou Valtteri Bottas e triunfou na terceira etapa da temporada. Kimi Raikkonen, da Ferrari, fechou o pódio.

Quando a corrida ultrapassava a 30ª volta de um total de 56, os dois carros da Toro Rosso (Pierre Gasly e Brendon Artley) se chocaram, o que gerou imediatamente a entrada do Safety Car. A Red Bull promoveu nova troca de pneus com Ricciardo e Verstappen, que melhoraram o ritmo, incomodaram Ferrari e Mercedes e terminaram com os melhores desempenhos na parte final da prova.

Vítima de um toque de Verstappen na 44ª volta da corrida em Xangai, Vettel, ainda líder do campeonato com 54 pontos, finalizou o GP da China somente em oitavo; Lewis Hamilton, vice-líder com 45, acabou em quarto, beneficiado pela punição de 10s ao holandês da Red Bull.

Agora embalado pela sexta vitória na carreira dentro da categoria máxima do automobilismo, o australiano Daniel Ricciardo tenta se estabelecer de vez na briga por mais vitórias, cenário hoje previsto para Ferrari e Mercedes.

A próxima etapa da Fórmula 1 está agendada para 29 de abril, nas ruas de Baku, no Azerbaijão - justamente palco da última conquista de Ricciardo na F1 antes da corrida de ontem.