Policial

Feriado de Tiradentes começa violento, com três mortes na BR-163, em Lindoeste

O fim de semana prolongado para muita gente, com o feriado de Tiradentes, nesta sexta-feira (21), começou de forma trágica para uma família de Chapecó (SC), que perdeu a vida em um acidente na BR-163, nas proximidades do quilômetro 163, em Lindoeste. A colisão ocorreu por volta das 19h15.

As vítimas estavam em um Renault Logan dirigido por Adilson José Rodrigues, de 40 anos. Ao seu lado estava sua esposa, Janete Delariva, de 38 anos, no banco de trás estava o filho do casal, de 16 anos.

Eles seguiam para Cascavel em um comboio que contava com outros dois carros, um Ford Fusion e um Chevrolet Classic, todos ocupados por moradores de Chapecó e da mesma família.

De acordo com testemunhas, o Logan era o segundo carro do trio e o motorista saiu da pista sem motivo aparente - pode ter sofrido um mal súbito -, adentrando a via contrária e sendo colhido por um caminhão com carga viva de porcos.

Com o impacto, o carro ficou completamente destruído e o caminhão saiu da pista, desgovernado, e tombou nas margens da rodovia. O motorista do veículo maior nada sofreu.

DETALHES

Alguns detalhes chamaram a atenção neste acidente. O primeiro deles é que pouco antes da colisão, a poucos quilômetros antes do local da batida, quando os três carros pararam para em um local para os familiares lancharem, uma menina com idade entre quatro e cinco anos, filha do casal morto, pediu para seguir viagem com a avó - mãe de Janete - em outro carro. Outro detalhe é que o caminhão carregado com porcos tinha como destino a cidade de Chapecó, município natal da família agora em luto.

SEM NOÇÃO

Outro detalhe que chamou a atenção foi a ganância de populares que saqueavam a carga do caminhão enquanto bombeiros ainda tentavam tirar as vítimas de dentro do carro e a policiais rodoviários federais sinalizam a rodovia para evitar outros acidentes. A falta de noção foi tanta que algumas pessoas matavam os porcos e os carneavam a poucos metros do local do acidente, chegando a cortar os animais ao meio enquanto os familiares das vítimas do acidente choravam pelo acontecido.