Variedades

Compras de Natal na internet? Eu vou

(Foto: Divulgação )

Depois de quase vinte minutos com o dedo parado sobre a tecla “finalizar compra” - vá que um doido clone meu cartão - eis que, enfim, fiz minha primeira compra on line em abril deste ano.

O perfume eu amava, o desconto era imbatível, faltava a credibilidade no sistema que, para minha surpresa, funcionou bem direitinho e nenhuma outra compra foi feita por terceiros com meu cartão e a frasco daquela fragrância maravilhosa alegra o meu olfato todas as manhãs.

Dizem que este Natal vai ser o Natal da internet, e não tenho dúvida de que sim já que eu, que nem TED faço com medo de clonagem, estou comprando on line, imagine aqueles que há uma década já apertam o botãozinho de “finalizar compra” sem o menor constrangimento.

Meu marido, antigo freguês do site de compras Ebay, foi quem insistiu na dica. Comecei pelo perfume e hoje já me estendo para a compra de vestuário, outro produto que namorei muito antes de apertar o botão. O site? Um daqueles que não para de aparecer nos posts do facebook, anúncios que cansam os olhos de tantos convites para curtir páginas, insistência que acabou me levando para o mundo das compras virtuais.

Gostei. As roupas chegaram em cinco dias, cinco peças, e não precisei trocar nenhuma. A lua de mel, porém, durou pouco: ao repetir a façanha, dos quatro vestidos que comprei, três devolvi, e lá se foram outras três semanas para ver meu dinheiro disponível para novas compras. É, tem isso, pagar é na hora, mas para receber você pena um pouco, mas recebe, desde que seja o site idôneo. Já experimentei o Posthaus, a Bonprix e o Vitrine Outlet, os dois primeiros entrega rápida, diferente do terceiro que pode levar até três semanas para chegar em sua casa, mas os produtos costumam ser fiéis à foto. Aliás, alguns produtos que a Bonprix expõe em seu site também podem ser encontrados no venus.com, um site de compra da Flórida que não chega no Brasil. Os vestidos - e as modelos, louras, altas e magérrimas - são os mesmos, inclusive no preço, a diferença é que uma peça de US$ 39 no site Venus é vendida aqui a R$ 139,00. A devolução do vestuário ficou por conta justamente delas, das modelos, beleza exagerada que nem com dieta de fome eu consigo deixar a roupa com o mesmo caimento daquelas beldades. O photoshop também não ajuda muito, a cor viva na tela, um brilho que não chega a sua casa na mesma intensidade já faz com que a gente fique meio desiludido.

Para quem tem tempo, não raro um produto em um site estampa a tela com o nome de outro, e isso aconteceu recentemente comigo no Ebay, site que comprei há pouco e ainda não recebi as mercadorias "meide in Tchaina”, que, pelo rastreio do pacote, nem sequer saiu da China, roupas que só vou conhecer em dezembro ou janeiro, o que me frustra pois a compra era destinada justamente a eles, os presentes de Natal. E não pense que paguei caro, R$ 230,00 fariam a festa dos parentes, mas por ser tão barato tenho até medo de abrir o pacote...

Depois de conhecer o site e a dinâmica do sistema fica mais fácil e você acaba aprendendo a ter “olho clínico” sobre o produto que está analisando. Ainda sou mais fã do produto brasileiro, esse que bem ou mal eu ainda posso trocar e que movimenta a economia brasileira, mas como toda jornalista, experimentar novos mundos para saber como tudo funciona já justifica minha aventura chinesa, esta que talvez me faça pensar novamente se vale a pena soltar o dedo e apertar o botãozinho aquele segura de que fiz um bom negócio.