Política

Coluna Contraponto do dia 14 de julho de 2018

Pergunta que não cala: por que o TCE não investigou a Uega?

A Copel teve de pagar R$ 11,8 milhões para escritórios de advocacia e de investigação forense para descobrir o destino que teriam tomado R$ 160 milhões que faziam parte do lucro auferido por sua subsidiária Uega (Usina de Eletricidade a Gás de Araucária). O “sumiço” do dinheiro foi descoberto quando a Copel verificou, em outubro do ano passado, ao fechar as contas do trimestre anterior, que precisaria lançar mão dos lucros da Uega. O projeto imobiliário que não saiu do chão em Osasco (SP). Depois de percorrer um caminho tortuoso, a auditoria foi parar numa empresa do ramo imobiliário que prometia construir um complexo de torres, shopping e hospital num terreno de 72 mil metros quadrados em Osasco (SP). A pergunta que não cala: por que a Copel não chamou o Tribunal de Contas para fiscalizar (como é do seu papel) as contas da subsidiária Uega e, em vez disso, preferiu gastar R$ 11,8 milhões com escritórios particulares para tentar recuperar R$ 160 milhões? O investimento da estatal de energia do Paraná nas investigações foi o equivalente a quase 8% do valor desaparecido.

“Voto útil” I

Enquanto Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT) parecem predestinados a chegar nos dois primeiros lugares no primeiro turno, um representando a direita mais extrema e o segundo uma esquerda que tenta melhorar seu perfil, os candidatos considerados moderados, de centro, Geraldo Alckmin (PSDB), Alvaro Dias (Podemos) e Marina Silva (Rede), seguem frequentando as pesquisas com índices que os colocam do terceiro lugar para baixo.

“Voto útil” II

Estrategistas políticos consideram que, desunidos ou adversários entre si, nenhum dos três está habilitado a chegar ao primeiro turno. Por isso, aconselham que dois deles retirem suas candidaturas e se unam em torno de um só nome que aglutine a tendência pelo “voto útil”.

Sacrifício

Ocorre que nenhum deles se mostra disposto ao “sacrifício” antecipado. Os três insistem em manter suas candidaturas até o fim e não dão sinais de que queiram se retirar da disputa antes de a campanha começar oficialmente, a partir de meados de agosto ou nem mesmo depois.

Corram para as colinas...

Se você é dos que achavam que a cota de más notícias dos brasileiros havia sido preenchida com o fracasso da seleção na Copa do Mundo na Rússia, pode se preparar. Ainda que não haja a menor possibilidade de o desejo dele tornar-se realidade, Fernando Collor - aquele... - está pleiteando novamente junto ao seu partido o direito de ser candidato à presidência da república. Como dá para perceber, no Brasil o baú das más notícias não tem fundo.

Hoje é Dia de Maldade

Hoje é dia de lembrar que:

Neymar & Lula: os dois brasileiros que foram derrotados pelo VAR diante do mundo.

O VAR de Neymar foi a inovação tecnológica. O de Lula, atende pelo nome de Moro

O Paraná é o estado mais glorioso da Federação: tem dois candidatos a presidente, a Lava Jato, Lula na cadeia e um funcionalismo público que recusa até reajuste de salário

E o Paraná é mais: as rebeliões em presídios são pacíficas e tranquilas, greve de caminhoneiro é um charme e, pra entrar na política, todo paranaense precisa ser de família

O novo anúncio da Copel já está na praça: “Copel Imobiliária vende quarto e sala em Osasco. É Galinha Morta.”

Dona Fernanda Richa não aguenta mais levar susto: toda vez que abre um armário em casa pula um esqueleto do governo do Mozão

O senador Roberto Requião já demonstrou que o juiz Sérgio Moro exagerou com Lula. Agora vai ter provar que o juiz comeu bacalhau em Lisboa

Ratinho Jr e a nova posição política: direita, volver

Rafael Greca e a medida de urgência: emagrecer já

Osmar Dias e a disputa para o governo: a onça, à beira do lago, pronta pra beber água.

Obs.: Para quem não lembra ou não sabia, VAR é a sigla do árbitro de vídeo usado nesta Copa.