Educação

Centro Tecnológico cria projeto de apoio à segurança pública

O Vigia Cascavel já está pronto; a ideia é cadastrar câmeras de residências e comércios para acesso das forças policiais
Estudante Victor Boso participou do desenvolvimento do projeto (Foto: Divulgação )

Cascavel - Fomentar inovações tecnológicas que gerem fruto para as cidades. Com essa proposta, nasce o Centro Tecnológico da Universidade Paranaense – Unipar, em Cascavel. O projeto de extensão é um espaço para o talento de quem deseja usar a tecnologia como agente facilitador nas áreas de saúde, mobilidade, educação e segurança.

Alguns projetos estão em andamento. Um que já está pronto é o Vigia Cascavel, desenvolvido dentro do CT, pelo curso de Sistemas de Informação. O objetivo é cadastrar câmeras de empresas ou residências para que fiquem acessíveis, em tempo real, às forças polícias de Cascavel, contribuindo com a segurança pública e combate à criminalidade.

A ideia do Vigia surgiu de um servidor público externo e foi aperfeiçoada pelo curso. O coordenador do CT, professor Ângelo Sucolotti, afirma ser uma satisfação e um desafio coordenar uma equipe grande, envolvida com vários órgãos de segurança: “O produto é funcional e está pronto, porém, para cumprir o papel, precisa do engajamento da comunidade, comprando a ideia, que não tem custo, apenas necessita que a população disponibilize o acesso às suas câmeras privadas”.

Oito alunos se envolveram no projeto, tendo ainda a parceria da Fundetec (Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico), Prefeitura de Cascavel, Conseg (Coordenação Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança) e Acic (Associação Comercial e Industrial de Cascavel).

O egresso Victor Boso, destaca que o desafio foi compensador. “Foram oito meses trabalhando no projeto, possibilitando o relacionamento em grupo e o desenvolvimento de pesquisas, muito válidas para o futuro da profissão. Foi complexo por não ter nada parecido no mercado e também gratificante por contribuir com a sociedade e poder estender a ideia fora do município”, observa.