Esporte

Boca tenta ganhar título no “tapetão”

Buenos Aires – Competição que deveria ter sido encerrada no último sábado, mas que foi transferida inicialmente para o dia seguinte e depois para o “dia 8 ou 9 de dezembro”, conforme comunicado da Conmebol, a Libertadores 2018 pode ter o campeão definido sem a disputa em campo entre River Plate e Boca Juniors.

Segundo o diário “La Nación”, da Argentina, que teve acesso ao documento de 26 páginas apresentado pelo time Boca, o time xeneize tenta conquistar o título da Libertadores por meio do tribunal, pedindo a desclassificação do River Plate após os incidentes do sábado.

O Boca Juniors afirma que seu elenco foi vítima de uma “covarde e orquestrada agressão”. Como era esperado, cita também a eliminação de 2015, quando um de seus torcedores jogou gás de pimenta no túnel do vestiário do River Plate.

Para o time presidido por Daniel Angelici, “as lesões sofridas pelos jogadores do Boca foram mais graves que as sofridas pelos jogadores do River em 2015”.

Na visão do Boca Juniors, “a partida está desnaturalizada para sempre”, acrescentando que jogar uma semana ou dez dias depois da agressão representaria uma clara desvantagem desportiva, além de trazer outros efeitos, como uma possível mudança nas equipes com a recuperação de algum jogador com o prazo maior.

Para isso tudo, o Boca traz a palavra do psicólogo da equipe, afirmando que todo o caso vivido no sábado “gerou nos jogadores desconcentração, irritabilidade, angustia, deixando-os sem boa capacidade de resposta emocional para tomar decisões adequadas”.