Cotidiano

Árvores Digitais são inauguradas em três municípios lindeiros

(Foto: Divulgação )

O Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu, juntamente com a Itaipu Binacional e administrações municipais inauguraram nessa semana, árvores digitais em três municípios. As estruturas foram instaladas na região lindeira e já estão em funcionamento. Os equipamentos, em formato de árvores, são dotados de placas fotovoltaicas que captam a energia solar e disponibilizam para o carregamento de celulares.

As mesmas “árvores”, são equipadas com sistema para emissão de sinal wifi, internet sem fio, para até 100 aparelhos, simultaneamente, em forma de link dedicado, conexão exclusiva, segundo o engenheiro do projeto, Guilherme Marzolla. Cada estrutura é composta por cinco placas fotovoltaicas e baterias que acumulam energia para três dias, e possibilita carregar 16 celulares por vez, conforme especificado pelo projeto.

A inciativa das árvores digitais é resultado de uma parceria do Conselho dos Lindeiros e Itaipu Binacional, e compreende um investimento de R$854 mil. A instalação ocorreu em locais públicos à escolha dos gestores municipais, de acordo com a presidente do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros, Cleci Loffi.

Inaugurações

Nesta quinta-feira ocorreu a cerimônia de inauguração das árvores digitais nos municípios de Missal, Santa Helena e Pato Bragado. Nos demais municípios os eventos serão agendados para os próximos dias.

O prefeito de Missal, Hilário Jacó Willers (Maneco), ressalta os investimentos e o trabalho desenvolvido no município por intermédio de parcerias com a Itaipu e Conselho dos Lindeiros. Evandro Grade (Zado), prefeito de Santa Helena chama a atenção para os benefícios proporcionados com a instalação das árvores digitais, além de outras parcerias previstas. A tecnologia mais perto da população é uma forma de contribuir com as pessoas do município, conforme o prefeito de Pato Bragado, Leomar Rohden (Mano).

Expansão

A implantação das árvores digitais representa um marco inicial de estímulo ao aproveitamento da energia solar na região lindeira, com possibilidade de expansão para todo o Oeste do Paraná, conforme o diretor de Coordenação da Itaipu Binacional, Newton Kaminski. “A lâmina d’água pode ser aproveitada também para a geração de energia”, ressalta.

A estruturação de um projeto regional é um fator fundamental para atender os municípios lindeiros segundo a presidente do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu, Cleci Loffi. As árvores solares digitais são ferramentas de estímulo à utilização da energia solar.