Cotidiano

Agora é lei!

Nova lei trabalhista alterou mais de 100 pontos da CLT (Foto: Arquivo )

A nova redação da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) começou a valer no último sábado (11). A Reforma Trabalhista que foi proposta por cientistas políticos e sancionada pelo presidente da República, Michel Temer, no dia 11 de julho, teve a participação fundamental da Amic Oeste Paraná no texto-base, por meio de propostas de modificações nas leis trabalhistas, entre elas, destacam-se melhorias no relacionamento entre empregado e empregador e medidas que podem aumentar a geração de empregos no País. São mais de 100 pontos alterados.

Pensando em fortalecer as empresas de micro e pequeno porte e esclarecer as novas mudanças, a entidade trouxe para Cascavel no dia 10 de agosto o Juiz Federal do Trabalho e integrante da comissão de redação da Reforma Trabalhista, Marlos Augusto Melek, autor de um dos livros mais vendidos do Brasil: “Trabalhista! E agora?” Ele ministrou uma palestra homônima, ressaltando o que esperar da reforma trabalhista em um ambiente hostil para os negócios.

Conquista

Para o atual presidente da Amic Oeste - PR, Celso Bevilacqua, a vitória da reforma trabalhista é recebida com grande alegria e afirma que a conquista é de todo o Brasil.

De acordo com o Juiz, o Brasil precisava desta remodelação, pois pelos cálculos do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) existem 13 milhões de brasileiros desempregados. Por outro lado, há cerca de 60 a 70% de empregadores de Micro e Pequenas Empresas que têm até 15 empregados, segundo dados do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Reequilíbrio

“Forças que interagem nos trazem a convicção de que a CLT precisava buscar um reequilíbrio, até porque a de 1940 é de uma época em que e a mulher precisava de autorização do marido para propor uma ação judicial ou ainda, que a mulher que trabalhasse na oficina do pai do marido não teria direito trabalhista algum. Isto era vigente até hoje, por isso a importância de colocar o país em consonância com a realidade mundial, tornando o Brasil mais competitivo e reduzindo o Custo Brasil que em muito é representado não só pelos encargos, burocracia, mas por uma ameaçadora legislação trabalhista”, salienta o juiz.

Remodelação

De acordo com o Juiz, o Brasil precisava desta remodelação, pois pelos cálculos do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) existem 13 milhões de brasileiros desempregados. Por outro lado, há cerca de 60 a 70% de empregadores de Micro e Pequenas Empresas que têm até 15 empregados, segundo dados do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).