À espera de um milagre

Sem parcerias, atendimento será encerrado no dia 15 (Foto: Aílton Santos)

O encerramento das atividades na comunidade terapêutica Molivi - Movimento para Libertação de Vidas –, que presta atendimento a dependentes químicos, certamente deverá ocorrer na próxima quinta-feira (15).

Desde que o presidente da instituição expôs as dificuldades financeiras para manutenção dos trabalhos e dívida que já passa de R$ 60 mil não houve avanço no sentido de impedir que o Molivi fechasse as portas.

“Tivemos reunião com assessores do prefeito e a resposta que tivemos é de que o poder público não tem como e não pode nos ajudar”, afirma o presidente, Milton Cesar Fontoura Alves.

Por algumas pendências em documentação exigida para a disputa de licitação da Prefeitura que garantia o repasse de recursos para o tratamento de pacientes, a diretoria da comunidade, perdeu essa oportunidade, e com isso, o auxílio de aproximadamente R$ 8 mil.

Entidades

A última expectativa da equipe é de que alguma outra entidade possa assumir o comando do Molivi. “Estamos à espera de um milagre, pois tivemos muitas promessas e pouca coisa concreta, então estamos decididos a encerrar os atendimentos”, ressalta Alves.

Segundo o presidente, os pacientes que seguem em tratamento serão remanejados para os serviços públicos. “Não queremos também que nosso trabalho seja desperdiçado então já entramos em contato com o SIM-PR para que eles sejam atendidos”.5