Política

Quatro vereadores estão com a CNH suspensas

Laís Laíny

17/03/2012 às 00:00 - Atualizado em 30/08/2014 às 14:11

Cascavel - Dos 15 vereadores de Cascavel, quatro estão com a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) cassada, suspensa ou em vias de suspensão. O prefeito Edgar Bueno (PDT) também entra lista e, inclusive, é o que soma mais pontos.

Consulta externa ao portal do Detran/PR revela que as multas ao chefe do Executivo somam 40 pontos. Várias delas cometidas fora de Cascavel. A multa mais grave foi registrada em Ponta Grossa, quando foi extrapolado o limite máximo de velocidade em 50%. A infração é considerada grave e rendeu ao prefeito Edgar cinco pontos.

Ele também já foi multado por falar ao celular no volante, parar sobre a faixa de pedestres durante a mudança de sinal e por estacionar em locais proibidos.

A habilitação de categoria B está irregular e pendente de um curso de reciclagem. Dessa forma, Edgar está impedido de dirigir.

Situação parecida é a do vereador Mário Seibert, com 33 pontos. Com o direito de dirigir suspenso, o Detran aguarda que Seibert entregue a carteira de motorista. As infrações de Seibert variam de médias, graves e gravíssimas.

A mais recente data de janeiro do ano passado, quando ele trafegou pela Rua Jorge Lacerda acima dos limites de velocidade, que é de 60 km/h e ganhou sete pontos na CNH. Segundo o portal do Detran, ele ultrapassou o limite em 50% isso é, dirigia a no mínimo 90 km/h. A multa é de natureza gravíssima. Seibert também foi multado por transitar a 20% acima da velocidade permitida e dirigiu sem cinto de segurança.

O terceiro do ranking é o peemedebista Julio Cesar Leme da Silva. As infrações registradas somam 25 pontos. A falha mais grave foi a de conduzir um veículo não registrado, infração gravíssima, e a mais curiosa foi a de dirigir um veículo em mau estado de conservação.

Também constam: desobedecer ordens da autoridade de trânsito e dirigir falando ao celular.

Já o vereador João da Tropical (PTB) figura com 22 pontos na CNH, acumulados de infrações leves, graves e gravíssimas. Ele foi multado por estacionar em local proibido, dirigir na contramão e avançar sinal vermelho.

O último da lista é o pedetista Luiz Amélio Burgarelli. Com a carteira suspensa, ele foi flagrado furando o semáforo. Infração que lhe rendeu a cassação na carteira até 2014.

Cassado, Burgarelli admite dirigir em emergências 

Até 2014, o vereador Luiz Amélio Burgarelli (PDT) está impedido de dirigir e iniciar processo para tirar nova CNH. Para se locomover, ele diz que durante o dia um assessor faz o papel de motorista, mas à noite a situação é outra. “Em situações de emergência, infelizmente, tenho que fazer um ilícito”, confessa o vereador, que também é médico. Ele justifica que não tem como ter um motorista à disposição 24 horas por dia. 

Vereadores transferem culpa 

Procurados pela reportagem, João da Tropical (PTB) e Julio Cesar Leme da Silva (PMDB) deram a mesma explicação: a infração foi cometida por terceiros.

O petebista diz que as multas são a soma de vários carros utilizados em sua empresa, uma sorveteria. Ele admite apenas algumas infrações. “Temos uns quatro ou cinco carros. Tenho algumas multas, mas nem todas são minhas”.

Ele entrou com recurso. “Os pontos já vieram para mim, mas estou recorrendo para ganhar tempo”, admite João da Tropical.

Julio Cesar Leme da Silva justificou que, dos 25 pontos registrados em seu nome, apenas quatro são seus. O vereador explica que vendeu um carro, mas que ainda não foi transferido. “Vendi um carro em que foram cometidas infrações, mas os pontos foram para mim. Não fui eu que cometi, mas que comprou o carro”, disse Leme da Silva. Ele também recorreu das multas.

O prefeito Edgar Bueno e o vereador Mário Seibert foram procurados na tarde de ontem para falar a respeito das infrações. Nenhum deles atendeu os telefonemas

Publicidade
Publicidade
Publicidade