Cotidiano

Lançado em 2014, PDI tem “furo” de R$ 70 mi

A projeção do custo até o término das obras, em dezembro de 2018, já saltou para R$ 249,3 milhões, 117% maior que os R$ 115 milhões estimados

cCascavel – Convidado para detalhar na Acic o PDI (Programa de Desenvolvimento Integrado), o secretário de Planejamento de Cascavel, Fernando Dillenburg, fez uma revelação preocupante ao empresariado. Segundo ele, a projeção do custo até o término das obras, em dezembro de 2018, já saltou para R$ 249,3 milhões, 117% maior que os R$ 115 milhões estimados por ocasião do lançamento, há três anos.

Considerando o que ainda está previsto de repasses do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), que é o agente financiador de 50% (os outros R$ 50% são de responsabilidade do município), ficarão faltando em torno de R$ 70 milhões para que o projeto seja desenvolvido na íntegra. “Por isso, e para não comprometer dinheiro de outras áreas importantes, o tema precisa ser tratado com cuidado, saber o que pode ser priorizado e encontrar fontes alternativas para buscar novos recursos”, esclareceu o secretário.

Por conta disso, a nova administração já considera a possibilidade de suprimir algumas obras e adotar medidas que possam gerar economia.

A preocupação com o corte de obras é unicamente uma questão gerencial, de contratar com o devido respaldo financeiro e sem gerar desequilíbrios que possam afetar a máquina pública e áreas essenciais, segundo Dillenburg.

AVENIDA BRASIL

Já há um considerável atraso no cronograma de implantação do corredor exclusivo do transporte coletivo na avenida Brasil, cuja conclusão estava inicialmente prevista para o fim do ano passado, e também dos terminais de transbordo, que ficarão prontos em épocas diferentes ao longo de 2017. “Já que não há como operar com os ônibus sem que o sistema esteja pronto, é provável que o início da operação ocorra somente em março de 2018”, revelou Dillenburg.

OBRA DE TODOS

Dillenburg foi convidado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Cascavel, cujo presidente, Edson José de Vasconcelos, defendeu durante o encontro a importância do planejamento de longo prazo e que as eventuais adequações no projeto do PDI atendam às necessidades do cidadão. “Afinal, é um obra de todos e para todos, porque influencia no cotidiano de cada cascavelense”, pontuou.