Blogs | Newsletter | Fale Conosco |
Cidades

Qualidade de vida avança em 31 cidades do Oeste

Josimar Bagatoli

30/07/2013 às 00:00 - Atualizado em 01/09/2014 às 23:11

A região Oeste do Paraná teve resultados animadores no levantamento por IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, em todo o País. Das 50 cidades que integram o território, 31 passaram de médio desenvolvimento humano para alto desenvolvimento humano.

Na avaliação feita a cada década, o maior destaque ficou com Quatro Pontes. A cidade com 3.803 habitantes, segundo a última pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), teve o melhor desempenho regional (0,791), e ocupa a 62ª posição, em comparação aos 5.565 municípios do Brasil. Já no Paraná, Quatro Pontes ocupa a terceira posição.

O ritmo do município do interior do Estado vai contra o intenso movimento dos grandes centros. Mas o hábito mais tranquilo está atrelado à qualidade de vida da população. Pela constatação do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), a cidade tem a maior taxa de empreendedorismo do Oeste. A cada grupo de 30 moradores, um é empreendedor. “As empresas são de pequeno porte. Mas a maioria é sólida. Temos baixo índice de falência”, diz o prefeito, Paulo Cesar Feyh.

A economia de Quatro Pontes gira ao redor da agricultura. As empresas são mantidas por familiares de agricultores. E foi justamente o desempenho financeiro que garantiu a colocação privilegiada entre os municípios do Estado e até mesmo do País. Em uma década (2000-2010), a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi renda, seguida por longevidade e por educação. “Os agricultores diversificam a renda. Quando uma cultura está em baixa, eles têm outra para manter a propriedade. Também muitos trabalham fora, ou seja, a renda não depende apenas da agricultura”, diz o prefeito.

O tamanho da cidade é considerado uma vantagem. O índice de analfabetismo é zero. Para não perder os moradores, a prefeitura oferece auxílio transporte para quem trabalha em municípios vizinhos. As crianças contam com incentivos educacionais e os idosos também são valorizados, com ginásticas, danças e atendimento médico em casa. Não é à toa que Quatro Pontes é também a “Capital da Longevidade”. “As visitas são em casa. Isso seria impossível em cidades maiores. Mas aqui, sabemos das dificuldades de cada um, e conseguimos dar uma atenção especial”, ressalta Paulo Cesar Feyh.

VANDRÉ DUBIELA
Foram avaliados fatores de educação, longevidade e renda da população brasileira

 

Quatro cidades saltaram para alto desenvolvimento

Na avaliação feita em 2010, mas divulgada apenas agora, o salto de quatro cidades do Oeste do Paraná foi ainda maior.  Os moradores de São José das Palmeiras, Iracema do Oeste, Iguatu e Braganey conseguiram melhorar consideravelmente os três fatores avaliados, em dez anos, e deixaram o baixo desenvolvimento humano e foram direto para o alto desenvolvimento humano. 

POSITIVO

Outros 11 municípios também subiram um degrau, deixando o baixo índice para ocupar o médio desenvolvimento humano. São eles: Vera Cruz do Oeste, Três Barras do Paraná, São Pedro do Iguaçu, Santa Lúcia, Ramilândia, Lindoeste, Ibema, Catanduvas, Campo Bonito, Boa Vista da Aparecida e Anahy. As cidades de Quatro Pontes, Palotina, Maripá, Marechal Cândido Rondon e Entre Rios do Oeste já tinham um ótimo desempenho há uma década. Os cinco municípios apenas mantiveram a colocação, e estão com alto desenvolvimento humano. Na classificação geral, são 36 cidades com alto IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).

INDICATIVOS

Em dez anos a renda per capta em Quatro Pontes saltou de R$ 580,73, para R$ 1.093,43, conforme o levantamento nacional. A cidade teve um incremento de 63,43% no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), nas últimas duas décadas, acima da média de crescimento nacional (47,46%) e acima da média de crescimento estadual (47,73%).

A mortalidade infantil (mortalidade de crianças com menos de um ano) reduziu 22%, passando de 15,9 por mil nascidos vivos em 2000 para 12,3 por mil nascidos vivos em 2010. Segundo os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas, a mortalidade infantil para o Brasil deve estar abaixo de 17,9 óbitos por mil em 2015.

Em 2010, as taxas de mortalidade infantil do estado e do País eram 13,1 e 16,7 por mil nascidos vivos, respectivamente. A pesquisa aponta que a esperança de vida ao nascer aumentou 7,1 anos nas últimas duas décadas na cidade, passando de 68,2 anos em 1991 para 71,4 anos em 2000, e para 75,3 anos em 2010. Em 2010, a esperança de vida ao nascer média para o estado é de 74,8 anos e, para o País, de 73,9 anos.

Curitiba lidera classificação estadual

Em todo o Paraná, Curitiba lidera a pesquisa (0.823), e aparece na 10ª colocação nacional. Maringá aparece em segundo lugar e Quatro Pontes em terceiro. Pato Branco e Cascavel apresentaram empate técnico e estão na 113ª colocação.

O secretário de Educação de Cascavel, Valdecir Nath, comemora o desempenho da cidade. O resultado, segundo ele, foi obtido devido o redimensionamento adequado do recurso, principalmente com educação. “Fizemos o investimento certo. Não foi o maior, mas afirmamos que foi o melhor. Não é quantidade que vale, mas qualidade”, ressalta o secretário.

 A cidade paulista de São Caetano do Sul manteve a liderança no ranking com 0,862 pontos. Melgaço, no Pará, atingiu o pior índice brasileiro, 0,418.

O IDH é formado por três áreas do desenvolvimento humano: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda). Os dados utilizados são os do Censo Demográfico do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

 

CIDADE

IDH

2010

IDH

2000

IDH

1991

COLOCAÇÃO NACIONAL

Anahy

0,695

0,595

0,398

2.059°

Assis Chateaubriand

0,729

0,678

0,505

1.052°

Boa Vista da Aparecida

0,670

0,559

0,334

2.663º

Braganey

0,701

0,537

0,401

1.866º

Cafelândia

0,748

0,666

0,516

583º

Campo Bonito

0,681

0,512

0,371

2.412º

Capitão L. Marques

0,716

0,626

0,415

1.427º

Cascavel

0,782

0,692

0,544

113º

Catanduvas

0,678

0,569

0,421

2.481º

Céu Azul

0,732

0,644

0,478

965º

Corbélia

0,738

0,625

0,497

823º

Diamante do Oeste

0,644

-

-

3.222º

Diamante do Sul

0,608

0,488

0,332

3.957 º

Entre Rios do Oeste

0,761

0,714

0,542

350 º

Formosa do Oeste

0,723

0,603

0,491

1.217 º

Foz do Iguaçu

0,751

0,663

0,532

526 º

Guaíra

0,724

0,643

0,480

1.191 º

Guaraniaçu

0,677

0,575

0,398

2.503 º

Ibema

0,685

0,531

0,374

2.309 º

Iguatu

0,703

0,559

0,374

1.811 º

Iracema do Oeste

0,707

0,584

0,425

1.696 º

Itaipulândia

0,738

0,633

0,454

823 º

Jesuítas

0,705

0,626

0,460

1.756 º

Lindoeste

0,666

0,560

0,404

2.759 º

Marechal C. Rondon

0,774

0,705

0,569

185 º

Maripá

0,758

0,704

0,520

400 º

Matelândia

0,725

0,646

0,483

1.154 º

Medianeira

0,763

0,665

0,545

320 º

Mercedes

0,740

0,654

0,481

764 º

Missal

0,711

0,658

0,487

1.574 º

Nova Aurora

0,733

0,649

0,479

940 º

Nova Santa Rosa

0,731

0,669

0,511

993 º

Ouro Verde do Oeste

0,709

0,609

0,462

1.638 º

Palotina

0,768

0,704

0,560

249 º

Pato Bragado

0,747

0,663

0,515

599 º

Quatro Pontes

0,791

0,718

0,484

62 º

Ramilândia

0,630

0,517

0,426

3.487 º

Santa Helena

0,744

0,678

0,502

667 º

Santa Lúcia

0,687

0,574

0,364

2.251 º

Santa Tereza do Oeste

0,705

0,601

0,430

1.756 º

Santa Terezinha  Itaipu

0,738

0,638

0,501

823 º

São José das Palmeiras

0,713

0,582

0,404

1.514 º

São Miguel do Iguaçu

0,704

0,621

0,493

1.776 º

São Pedro do Iguaçu

0,683

0,581

0,442

2.359 º

Serranópolis do Iguaçu

0,762

0,683

0,550

335 º

Terra Roxa

0,714

0,622

0,485

1.486 º

Toledo

0,768

0,694

0,539

249 º

Três Barras do Paraná

0,681

0,568

0,402

2.412 º

Tupãssi

0,730

0,667

0,514

1.021 º

Vera Cruz do Oeste

0,699

0,593

0,461

1.934 º

FONTE: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento 

CLASSIFICAÇÃO DOS MUNICÍPIOS NO IDH 2013

Faixas

IDH

Muito alto desenvolvimento humano

0,800 a 1

Alto desenvolvimento humano

0,700 a 0,799

Médio desenvolvimento humano

0,600 a 0,699

Baixo desenvolvimento humano

0,500 a 0,599

Muito baixo desenvolvimento humano

0 a 0,499

MELHORES COLOCAÇÕES DO ESTADO

Posição

estadual

Cidades

IDH

Posição

nacional

1 º

Curitiba

0.823

10°

2 º

Maringá

0.808

23º

3 º

Quatro Pontes

0.791

62°

4 º

Pato Branco

0.782

113°

4 º

Cascavel

0.782

113°

6 º

Londrina

0.778

145°

7 º

Francisco Beltrão

0.774

185°

7 º

Marechal Rondon

0.774

185°

9 º

Palotina

0.768

249°

9 º

Toledo

0.768

249°

11 º

Dois Vizinhos

0.767

265°

COLOCAÇÕES POR CAPITAIS:

Posição

Capitais

IDH

1 º

Distrito Federal

0.824

2 º

São Paulo

0.783

3 º

Santa Catarina

0.774

4 º

Rio de Janeiro

0.761

5 º

Paraná

0.749

6 º

Rio Grande do Sul

0.746

7 º

Espírito Santo

0.740

8 º

Goiás

0.735

9 º

Minas Gerais

0.731

10 º

Mato Grosso do Sul

0.729

11 º

Mato Grosso

0.725

12 º

Amapá

0.708

13 º

Roraima

0.707

14 º

Tocantins

0.699

15 º

Rondônia

0.690

16 º

Rio Grande do Norte

0.684

17 º

Ceará

0.682

18 º

Amazonas

0.674

19 º

Pernambuco

0.673

20 º

Sergipe

0.665

21 º

Acre

0.663

22 º

Bahia

0.660

23 º

Paraíba

0.658

24 º

Piauí

0.646

24 º

Pará

0.646

26 º

Maranhão

0.639

27 º

Alagoas

0.631