Blogs | Newsletter | Fale Conosco |
Cidades

Incra finaliza compra de duas áreas

Josimar Bagatoli

25/09/2011 às 00:00 - Atualizado em 31/08/2014 às 19:47

Cascavel - O Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) está prestes a finalizar a compra de mais uma área para implantar um novo assentamento em Cascavel. Passada a especulação, agora a expectativa é que ainda neste ano o negócio seja fechado.

As propostas por duas fazendas do Complexo Cajati, na BR-277, estão em análise. Na área fica o Acampamento 1º de Agosto, ocupado pelas famílias do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) por sete anos.

Os 4,6 mil hectares serão destinados a 250 famílias invasoras. Pelo menos 20% das fazendas em negociação são compostas por áreas de preservação permanente, que serão mantidas pelo MST.  “Estamos próximos de chegar a um acordo de preços e tudo indica que neste ano o negócio seja concluído. Será um projeto grande de assentamento, com uma elevada quantidade de famílias que estão em acampamentos consolidados, ocupados por mais de dez anos na região”, explica Nilton Bezerra Guedes, superintendente regional do Incra, no Paraná.

ACAMPAMENTO

Diferente de quando foi ocupado, houve uma significativa redução de famílias no Acampamento 1º de Agosto. Hoje são cerca de cem na área que, ao longo dos anos, teve a infraestrutura adaptada. Os sem-terra contam com a Escola Itinerante Zumbi dos Palmares, que garante a educação das crianças que moram no acampamento. São mais de cem pessoas matriculadas nos ensinos fundamental e médio e na EJA (Educação de Jovens e Adultos).

A negociação é acompanhada pelo MST. Caso a compra da área pertencente à família Festugato seja efetivada, os sem-terra avaliam que a maioria deles deixará acampamentos invadidos na região Oeste para morar na terra destinada pela reforma agrária. “Notamos que há boa vontade dos governos federal e estadual em resolver parte dos problemas. Com a negociação avançaremos na nossa luta. Serão muitas famílias assentadas, cerca de 80% dos sem-terra serão deslocados ao assentamento”, complementa Celso Ribeiro Barbosa, coordenador estadual do MST. 

Famílias receberão auxílio-moradia de R$ 18 mil

As famílias moradoras do Assentamento Valmir Motta, na BR-277, em Cascavel, estão prestes a receber auxílio-moradia do Incra.

Na área adquirida há dois anos para a reforma agrária, antes pertencente ao Complexo Cajati, será iniciado o PDA (Plano de Desenvolvimento de Assentamentos) para a divisão da área de 889 hectares. Quando o levantamento estiver concluído, cada família assentada terá direito a R$ 15 mil para construir a moradia, mais R$ 3 mil de recurso complementar do Estado, totalizando R$ 18 mil. “Em dois meses concluiremos o mapa do assentamento, em seguida cortaremos as estradas e haverá a liberação do recurso para a habitação. Na sequência começa a implantação de energia elétrica, poço artesiano, enfim, toda infraestrutura”, diz Nilton Bezerra Guedes, superintendente regional do Incra, no Paraná.

Pelo menos 90 famílias integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) serão assentadas na área adquirida pelo Incra. Atualmente 50 famílias vivem provisoriamente às margens da BR-277. O benefício de moradia será um dos primeiros liberados pelo governo. As casas serão construídas em mutirão, pelos integrantes do MST. “Esperamos a liberação para fazermos as moradias. É um valor baixo, será preciso construir casas pequenas, de 42 m². Pretendemos fazer parcerias com universidades, para que possamos receber os projetos das moradias”, diz Celso Ribeiro Barbosa, coordenador estadual do MST.